PoliONU - Novos caminhos, novo mundo

Atenção para a nova data de realização:
28 de junho a 1 de julho

English Live
Schulen Partner der Zukunft
Goethe Institut
Huesker
Cacauholic
F3E Entretenimento
Promover Eventos

Mapa ilustrado

Prezados delegados, jornalistas, juízes, advogados e promotores, sejam bem-vindos à décima terceira edição do PoliONU. Nesse evento, os senhores irão lidar com questões e adversidades de âmbito global – uma experiência que proporciona aos participantes um novo olhar sobre a realidade, visando a formação de cidadãos empáticos, críticos e preocupados com o mundo.
Espera-se que esses quatro dias de simulação da ONU proporcionem aos senhores uma visão mais ampla da sociedade e que, além de crescimento individual, pessoal, acadêmico e profissional, influenciem ações e ideias capazes de mudar a realidade do planeta em que vivemos. Aos senhores delegados, jornalistas, juízes, advogados, promotores, futuros líderes, pensadores, diplomatas... uma ótima simulação!

Desejamos a todos que deixem sua marca no PoliONU!


Antonietta Torres Romano
Secretária-Geral Acadêmica
Luiz Felipe Monteiro Nogueira
Secretário-Geral Executivo
Raira Castilho Oliveira
Secretária-Geral Administrativa

Nós, secretários da décima terceira edição do PoliONU, temos a alegria e o imenso prazer de recebê-los em nosso evento. Foram meses de muito empenho e preparação, em que, juntamente com o restante da Organização, trabalhamos duro para tornar essa simulação a melhor possível para os senhores. Reunindo 12 anos de evento, procuramos inovar, a fim de proporcionar o que há de melhor tanto nos debates como nos inúmeros ganhos que o evento proporciona a todos que dele participam.

Assim como para nós, esperamos que o PoliONU traga a vocês uma visão ampliada da realidade e, como sugere o evento, leve-os a transpor as barreiras nacionais e pensar no mundo como um todo, com seus problemas e soluções. E, igualmente, influenciar mudanças individuais no que se refere ao convívio com pensamentos e ideias destoantes e pessoas de diferentes origens e culturas.

Neste momento, há pessoas excluídas e vozes caladas. Queremos encorajá-los a compreender que é nosso dever refletir sobre os acontecimentos à nossa volta, afastando-nos dos julgamentos em nome de um objetivo comum. Precisamos buscar solucionar as diversas questões que nos circundam, e isso não pode ser deixado para um futuro remoto. Milhões de pessoas são influenciadas diariamente a concordar com o que lhes é imposto. Deem voz a elas, falem por elas!

O Secretariado deseja a todos os participantes uma experiência enriquecedora durante os dias do evento; esperamos que saiam de sua zona de conforto e se aprofundem no cenário político internacional, a fim de que possam ter um olhar mais maduro, abrangente, profundo e empático ao se deparar com o espaço que os cercam e os influenciam, direta ou indiretamente.

Desejamos a todos um ótimo evento e a melhor simulação possível!

Cordialmente,

Antonietta Torres Romano
Secretária-Geral Acadêmica
Luiz Felipe Monteiro Nogueira
Secretário-Geral Executivo
Raira Castilho Oliveira
Secretária-Geral Administrativa

1 - O que são Modelos da ONU?
R: Modelos das Nações Unidas são eventos organizados para simular organismos internacionais e discutir tópicos da agenda internacional, promovendo a melhor compreensão da realidade através do debate e da interação entre diversas pessoas. Para mais informações, acesse Modelos de Simulação das Nações Unidas.

2 - Quem pode participar do PoliONU?
R: Alunos do Ensino Médio do Colégio Poliedro e das escolas parceiras do Sistema de Ensino Poliedro.

3 - Por que eu tenho de pagar para participar do PoliONU?
R: O PoliONU é um evento realizado por alunos do Ensino Médio, que, além de organizarem os comitês, oferecem coquetel de abertura, coffee breaks, festa temática e atividade programada. A taxa de inscrição contribui para a realização dessas atividades.

4 - Eu não tenho conhecimento sobre os temas do PoliONU e não sou muito bom em História e Geografia. Devo participar mesmo assim?
R: Sim. A Organização é extremamente empenhada em ajudar na preparação dos delegados e está à disposição para resolver qualquer situação. O PoliONU não se restringe às disciplinas do Colégio, sendo um evento interdisciplinar no qual tomam parte estudantes de todas as áreas – justificando a alta taxa de aprovação pelos participantes do evento.

5 - Eu tenho de seguir o Código de Conduta e Vestimenta?
R: Sim. É imprescindível que todos respeitem as regras, e estas serão rigorosamente observadas. Saber se portar apropriadamente e usar um traje formal será importante em muitos ambientes e situações com que os senhores irão se deparar ao longo da vida.

6 - Eu preciso comparecer a todos os dias do evento?
R: Para que você obtenha o seu certificado de participação, é necessário que compareça a seis das oito sessões do PoliONU. É muito importante que você participe ativamente do evento, especialmente dos debates. No entanto, casos especiais deverão ser encaminhados e serão posteriormente analisados pela organização.

7 - Em caso de desistência, receberei meu dinheiro de volta?
R: Não. Lembramos que a Organização planeja o evento com antecedência, portanto o dinheiro das inscrições já terá sido utilizado para custear itens que lhe serão providos.

8 - O que é o Documento de Posição Oficial? Como devo elaborá-lo e quando é preciso entregá-lo?
R: O Documento de Posição Oficial (DPO) deve ser executado apenas pelos delegados. É o documento que expressa o posicionamento do seu país em relação ao tema que será debatido no comitê, ou seja, quais são as providências que seu país já executou, se ele se encontra a favor de alguma ideologia, entre outras políticas adotadas por sua representação. Ele deverá ser escrito em linguagem formal, em lauda única, e ser fiel à política externa daquele país. O DPO deverá ser entregue na primeira sessão. Lembramos que o DPO não é o seu discurso inicial. Para mais informações, consulte o Guia de Regras.

9 - O que é o Documento de Exposição de Proposta Jornalística (DEPJ)? Como devo elaborá-lo e quando é preciso entregá-lo?
R: O Documento de Exposição de Proposta Jornalística (DEPJ) deve ser elaborado apenas pelos jornalistas da imprensa digital e escrita. É nesse documento que o jornalista exprime de forma explícita o posicionamento político de seu jornal. Para mais informações, consulte o guia de estudos de cada imprensa.

10 - O Guia de Regras se aplica aos juízes?
R: Dentro do comitê, em relação ao fluxo do debate e todos os procedimentos, o guia de estudos específico do TPI deve ser seguido. Porém, nos outros momentos do evento, como coffee breaks, festas e atividades programadas, a conduta seguida deve ser aquela expressa no Guia de Regras.

11 - Qual o papel dos Diretores de Comitê?
R: Os Diretores do Comitê são alunos com grande experiência em simulações, que se aprofundaram na temática a ser debatida para apoiar a sua pesquisa, produzindo os guias de estudos e colocando-se à disposição para auxiliar em qualquer situação. Durante as sessões, os diretores serão os responsáveis pela moderação, atentando para as regras do debate. Denominados de “mesa”, os Diretores do Comitê têm a obrigação de moderar, mantendo-se imparciais, sem influenciar os debates ou discursar sobre a temática.

12 - Devo ler os Guias de Estudos?
R: Sim. O Guia de Estudos é importantíssimo para sua preparação, pois ele contém informações que os diretores utilizaram para estruturar o tema, além de várias sugestões de material extra que podem lhe ajudar durante os debates e na execução de seu DPO. Utilize-o como base para suas pesquisas.

13 - Como devo me preparar para o PoliONU?
R: Recomendamos que os estudos se iniciem pelo Guia de Estudos. Depois, é muito importante que procurem informações sobre o país que irão representar para obter uma ideia mais geral da representação: dados históricos, geopolíticos, econômicos e demográficos. Aprofunde-se na temática e tente procurar informações sobre os outros países do seu comitê, para que assim você tenha uma visão mais ampla da sua política externa e de como ela se relaciona com os demais. Tente pesquisar também sobre o comitê, as atribuições do órgão e sua área de atuação. Boas fontes para consulta são o site oficial da ONU e o site do Ministério de Relações Exteriores do país. Caso você tenha algum conhecimento de um idioma estrangeiro, esta será uma ótima oportunidade para praticá-lo, visto que a maior parte das informações provém de sites estrangeiros. Posteriormente, é interessante pensar em resoluções para a problemática discutida pelo comitê, uma vez que no último dia de debates será necessária a execução de uma proposta de resolução. Um comitê com uma boa dinâmica é composto de discussões e acordos entre os países, todavia é composto principalmente das boas ideias apresentadas para resolver o problema de âmbito internacional.

14 - O que eu recebo por ter participado do PoliONU?
R: Ao final do PoliONU, os participantes receberão uma avaliação de desempenho e um certificado, que podem ser utilizados para complementar seu currículo. É importante ressaltarmos que o conhecimento adquirido durante o evento é inestimável – a compreensão de diversas situações no âmbito internacional, a melhoria das habilidades de argumentação e os novos amigos em outras regiões do país.

15 - Eu não queria perguntar isso, mas... E as festas?
R: O PoliONU também proporcionará momentos de descontração e interação social entre seus participantes, tais como coquetel, festa e atividades. Esses momentos são importantes para que os senhores possam conhecer outros participantes do evento. A seriedade habitual dos comitês não será necessária nesses momentos, permitindo uma interação mais descontraída entre os delegados.

16 - A participação no comitê deve ser em dupla e estou com dificuldades de encontrar alguém para simular comigo; não posso mesmo participar sozinho?
R: Não. Os comitês seguem rigorosamente as regras propostas. Portanto, depois de escolhido um comitê em dupla, não há como participar individualmente, pois isso atrapalharia o andamento do próprio comitê. Os diretores decidem com antecedência a forma mais conveniente de organizar a participação no comitê. Lembre-se de que a organização está disponível para ajudá-los na procura de um parceiro para formar sua dupla.

17 - Para que serve o professor orientador?
R: O professor orientador é uma peça indispensável para o funcionamento do PoliONU. O seu comitê pode possuir um ou mais professores orientadores, que, junto com os diretores, têm a função de preparar o Guia de Estudos, fazer a palestra sobre o tema, visitar os comitês nos quatro dias e dar dicas e ideias para os participantes do evento, sendo esses juízes, delegados, jornalistas ou diretores. Vale lembrar que os professores orientadores têm uma programação específica.

A Organização das Nações Unidas (ONU) é uma organização internacional fundada em 1945, após o fim da Segunda Guerra Mundial, com o objetivo de garantir a paz e a segurança internacional. Atualmente, é formada por 193 Estados soberanos e preza por relações cordiais entre as nações, pela promoção do progresso social, pelas melhorias nos padrões de vida e pelos direitos humanos.

O documento base e de fundação da ONU é a Carta das Nações Unidas – que expressa os ideais e propósitos dos povos cujos governos se uniram para constituir as Nações Unidas, além de provisões importantes para a manutenção da paz internacional. A carta contém ainda a descrição dos órgãos da ONU e seus respectivos poderes.

Os principais órgãos das Nações Unidas são: Assembleia Geral, o Secretariado, o Conselho de Segurança, o Conselho Econômico e Social, o Conselho de Tutela e o Tribunal Internacional de Justiça.

Existem também vários programas, agências e fundos que são vinculados à ONU e atuam nas mais diversas áreas, entre eles estão: OMS (Organização Mundial da Saúde); OIT (Organização Internacional do Trabalho); Banco Mundial, FMI (Fundo Monetário Internacional) e muitos outros.

Saiba Mais em: CONHEÇA A ONU / SOBRE O UNIC RIO

Os modelos das Nações Unidas correspondem às conferências realizadas por estudantes de diversos níveis de ensino, com o objetivo de simular as negociações executadas no âmbito dessa organização, encontrando resoluções para assuntos pertinentes na atualidade. A conferência tem como missão "solucionar" diversos problemas mundiais – como pobreza, desemprego, degradação ambiental, criminalidade, Aids, migração e tráfico de drogas – que podem ser mais facilmente combatidos por meio da cooperação internacional.

Nesses modelos, os participantes inserem-se no papel de verdadeiros diplomatas, com o intuito de debater sobre os problemas da realidade internacional, tomando como base os países por eles representados e considerando a política externa de cada um. As simulações das Nações Unidas contribuem para o processo de desenvolvimento emocional e intelectual do estudante. Por meio dessa experiência, o aluno se depara com questões complexas que demandam conhecimento sobre o tema, pesquisa atualizada dos acontecimentos, habilidade nos processos de negociação e concentração. Ele terá oportunidade de confrontar seu ponto de vista com os demais participantes e poderá defender a posição do Estado que representará.

Esses modelos surgiram no Brasil há dezessete anos por iniciativa dos alunos de graduação do Curso de Relações Internacionais da UNB (Universidade de Brasília), com o America’s Model United Nations (Amun). Desde então, os modelos são realizados por várias instituições de ensino do país e, atualmente, mais de 200 mil estudantes em todo o mundo participam anualmente dessas atividades.

Entre as maiores simulações no Brasil para alunos do Ensino Médio estão os seguintes modelos: SINUS (UNB, Brasília); SPMUM (São Paulo); Siem (São Paulo); ONU Jr (Estácio de Sá - Niterói); Mini-ONU (PUC Minas - Belo Horizonte), organizadas por alunos de graduação. Algumas delas contam com a participação de ex-alunos do Sistema de Ensino Poliedro nas suas respectivas organizações.

As Relações Internacionais são uma ciência política dedicada ao estudo sistemático das relações políticas, econômicas e sociais entre os diferentes países, cujos reflexos transcendem as fronteiras de um Estado. Diferem-se de História, Sociologia, Economia, Antropologia, Filosofia e Direito, ainda que aproveitem diversos conceitos e noções dessas disciplinas.

Com cada vez mais frequência as questões internacionais deixam de ser competência exclusiva dos diplomatas e do interesse de grupos restritos. Temas como MERCOSUL, segurança regional, formação de blocos comerciais e terrorismo entraram definitivamente na agenda pública.

Nesse contexto, a atuação dos profissionais de Relações Internacionais tornou-se necessária não apenas em órgãos públicos diversos, mas também em empresas privadas, multinacionais, agências de cooperação estrangeira, organizações internacionais intergovernamentais – como a Organização das Nações Unidas (ONU) – e organizações não governamentais. O profissional bem informado, capaz de compreender os eventos que extrapolam Estados e países, com visão e postura cosmopolitas e ampla cultura geral, é requisitado nas mais diversas áreas.

Essa ciência analisa o cenário mundial, investiga mercados, avalia as possibilidades de negócios e aconselha investimentos no exterior. Promove entendimentos entre empresas e governos de diferentes países, abrindo caminho para exportações, importações e acordos bilaterais ou multinacionais. A internacionalização da economia amplia o campo de atuação desse profissional, que pode trabalhar em ministérios, embaixadas e consulados, grandes empresas, bancos e ONGs.

O Direito Internacional é constituído pelas normas jurídicas internacionais que regulam as leis dos Estados. Sendo assim, são estudadas as leis de vários países, com diferentes estruturas jurídicas. É de relevância compreendê-las e, posteriormente, lidar com relações estrangeiras, envolvendo economia, política e a proteção de cidadãos que vivem no exterior, entre outros assuntos. Além disso, é necessário que os advogados internacionais conheçam as leis que presidem, regulam e formalizam as relações entre países.

Persistência é uma qualidade requerida no Direito Internacional, já que o indivíduo, ao longo de sua carreira, terá a necessidade de trabalhar em algum momento em ONGs, Cortes (como a Corte Interamericana de Direitos Humanos), CIJ, entre outros exemplos. É preciso tanto diplomacia quanto alto conhecimento técnico jurídico, visto que por questões culturais pode não haver possibilidade de negociação, e, no Direito, os mínimos detalhes podem ser determinantes. Outro ponto que deve ser destacado é que o domínio de vários idiomas é valoroso, em especial os idiomas oficiais de trabalho em organizações internacionais, como o Inglês, Francês e Espanhol.

O segmento pode ser dividido em duas grandes áreas: o Direito Internacional Privado e o Direito Internacional Público. O primeiro trabalha com tratados internacionais que envolvem questões de importação e exportação (condições de venda, transporte, seguro, meio de pagamento, custos alfandegários, tratados de comércio etc.), envolvendo códigos nacionais comerciais, empresariais, civis, entre outros; já o segundo lida com os direitos dos costumes internacionais e tratados, envolvendo relações entre as nações, organizações internacionais e outros agentes das relações internacionais.

No Brasil, o Direito Internacional Público é largamente executado pelos diplomatas e, principalmente, pelo Itamaraty (Ministério das Relações Exteriores). A carreira também pode ser exercida em Organizações não Governamentais e Organizações Internacionais. Por fim, para seguir a profissão, deve-se primeiro obter um diploma em Direito e, em seguida, fazer uma especialização em Direito Internacional.

Relações Internacionais envolvem todo tipo de relações entre dois países, povos e empresas nas áreas política, econômica, social, militar, cultural, comercial e do Direito. Contudo, o Direito Internacional é específico no sentido de envolver regras, leis, tratados e acordos formalizados e firmados, como os das Cortes Internacionais. Direito Internacional é uma área que tem como intuito ‘’formalizar’’ e ‘’legalizar’’ o que é negociado através das Relações Internacionais.

As origens da diplomacia remontam à Antiguidade, nos tratados firmados entre diferentes povos. Quando civilizações antigas faziam alianças para atacar ou se defender de um inimigo comum, ou até mesmo para firmar um acordo de comércio, era empregado um tipo de negociação pacífica entre representantes dos dois povos ou autoridades.

As negociações diplomáticas foram mais desenvolvidas pelos gregos, nas relações mantidas entre as diversas polis helênicas e posteriormente pelos últimos imperadores romanos, que, com a perda de força do Império, voltaram a recorrer à negociação. O Império Bizantino foi também um precursor da diplomacia, complementando os avanços dos gregos e do Império Romano do Ocidente; os bizantinos foram os primeiros a criar um departamento governamental especializado em diplomacia, o que, mais tarde, serviu de base para os futuros ministérios de relações exteriores.

Nos dias de hoje, após todas as mudanças que o exercício da diplomacia sofreu, seu conceito pode receber diversas definições. Entre as ideias que podem ser associadas à diplomacia estão aquelas relacionadas aos interesses de um governo e à relação que este estabelece com outros governos, por meio de sua política externa e do ministério das relações exteriores. As negociações também estão ligadas ao conceito de diplomacia e incluem o próprio ato de negociar ou maneiras de se fazer acordos. Finalmente, os termos também são usados para definir a escolha profissional de uma pessoa, ou seja, aquele que segue uma carreira na área (diplomata), e a característica de uma pessoa de aspecto erudito e cortês. Apesar da abrangência de emprego da palavra, o termo diplomacia é geralmente compreendido como as relações entre países travada por meio de negociações.

Os Estados, visando assegurar que seus interesses sejam bem representados durante qualquer tipo de negociação, costumam enviar missões diplomáticas para defendê-los. São diplomatas os representantes que participam majoritariamente de missões diplomáticas; eles são os agentes do governo responsáveis por representá-lo no exterior. Muitas vezes, são os diplomatas, em conjunto com o Ministro das Relações Exteriores, que auxiliam o presidente a elaborar a política externa do país. As regulamentações das missões diplomáticas, bem como os direitos e missões de seus integrantes, estão estabelecidas na Convenção de Viena, de 1961.

As grandes organizações internacionais, como A ONU, baseiam-se sempre na negociação diplomática, com o objetivo de garantir o consenso entre os países, evitando, assim, a necessidade de conflito armado. O grande desafio das entidades internacionais está exatamente no consenso. Encontrar um consenso entre culturas tão diversas se mostrou um trabalho árduo ao longo dos mais de setenta anos de existência da ONU, e essa dificuldade resultou, ao longo dos anos, em conflitos violentos que, muitas vezes, puseram em xeque a eficácia das organizações internacionais.

A despeito das dificuldades e desconfianças, é inegável o espaço que a diplomacia conquistou dentro das organizações internacionais. Estas são, provavelmente, os melhores e mais promissores exemplos do uso da diplomacia.

HISTÓRICO

2017

A décima segunda edição do PoliONU, realizada do dia 15 ao dia 18 de junho de 2017, deu continuidade à tradição de sucesso e excelência do evento. Contando novamente com mais de 600 participantes, o PoliONU 2017 inovou em seu modo de inscrição, ao trocar o modelo de delegações pela inscrição individual, proporcionando mais liberdade de escolha aos delegados. Além disso, algumas mudanças feitas nos anos anteriores foram mantidas e melhoradas, como, por exemplo, o comitê em inglês e o comitê jurídico, que, em vez do CIJ, passou a ser o TPI, contando agora com a presença de outros participantes, como advogados e promotores. Outro destaque foi a festa, que teve a cultura brasileira como tema central. Nela, os delegados puderam homenagear o Brasil da forma que quiseram, por meio de suas fantasias. Dessa forma, o 12º PoliONU proporcionou uma experiência única aos delegados, além de apresentá-los ao mundo das simulações, dos debates e das relações internacionais, aliando a tradição do evento às inovações implantadas.
O PoliONU é um evento que cresce anualmente – evoluiu de cem delegados e cinco comitês para seiscentos participantes, incluindo delegados, juízes e jornalistas, e doze comitês; e não cresceu apenas no número de pessoas, mas no de inovações também. É uma grande responsabilidade carregar o legado das organizações anteriores, todavia temos certeza de que os senhores terão uma experiência inesquecível em 2018 com todas as novidades da décima terceira edição do PoliONU.

2016

Novamente, a maior simulação interna do Brasil concretizou-se com grande sucesso. A décima segunda edição do Polionu trouxe várias inovações, dentre elas o aumento do número de participantes, passando de 470 para 600 delegados. Além disso, a realização do Projeto Social e expansão do evento para 12 comitês marcaram de forma grandiosa a simulação, tornando-a memorável.

2015

Com uma década de sucesso, o PoliONU manteve suas tradições e ao mesmo tempo superou muitas expectativas em sua décima edição: inscrições esgotadas em 13 minutos, recorde do número de delegados (cerca de 470), presença do embaixador Fausto Godoy na palestra de abertura, exposição do evento em duas redes de televisão e a participação de diversas escolas parceiras foram o resultado da intensa determinação de todos os organizadores. O décimo PoliONU também foi marcado pelo elegante Baile de Inverno e diversos brindes fornecidos pelos patrocinadores do evento, tornando-o uma edição icônica desses 10 anos.

2014

A nona edição do PoliONU não pôde deixar de trazer amadurecimento e inovações logísticas e acadêmicas ao evento. Os comitês, que agora contavam com vídeos sobre a temática a ser debatida, deixaram de lado o estereótipo de “humanas” dado ao evento com a inclusão da OMS (Organização Mundial de Saúde). Junto com esta, fora criado o Comitê de Intervenções, no qual administrou-se a participação de figuras políticas e/ou importantes perante a temática de cada comitê, durante os debates em cada sala, visando deixar mais dinâmicas as discussões e mais interessante a experiência do delegado.

2013

Seguindo sempre a lógica do crescimento, o PoliONU 2013 trouxe o primeiro comitê jurídico do evento: a Corte Internacional de Justiça. As inscrições se encerraram em menos de 24 horas, fazendo com que fosse necessário ampliar o número de vagas. Chegamos, assim, à marca histórica de 400 participantes, entre delegados e organização, distribuídos em dez comitês.
Desse modo, o PoliONU pôde se afirmar como um evento importante não só para o Colégio Poliedro, mas sim para todo o Sistema de Ensino Poliedro, mantendo o cunho de maior simulação interna do Brasil.

2012

O ano de 2012 foi de mudanças para o evento. Contamos com a presença de 350 alunos e oito comitês, e, pela primeira vez, com cento e dez alunos oriundos de escolas parceiras de outros municípios, como: Taubaté, Volta Redonda, São Paulo, Sorocaba, São Bernardo do Campo e Amparo.
Novamente, foi necessário criar mais um comitê para englobar os interessados e, mesmo assim, formou-se uma lista de espera. Além disso, duas mudanças significativas foram implantadas: a criação de um grupo de imprensa forte, ainda mais preparado e unido, que contou com uma sala de equipamentos pronta para auxiliar os alunos; e um novo comitê, totalmente simulado em inglês, preparado por alunos da Unidade Parceira "Colégio Ábaco", de São Bernardo do Campo.

2011

O PoliONU 2011 originalmente seria composto por seis comitês, mas o interesse por parte dos delegados foi tamanho que a Organização decidiu abrir mais um comitê e, ainda assim, houve lista de espera. Na sexta edição, o Colégio Juarez Wanderley foi convidado a participar pela primeira vez. O desempenho memorável dos envolvidos fez com que o evento se tornasse ainda mais rico e respeitado no âmbito acadêmico.

2010

A edição de 2010 contou com aproximadamente 250 participantes, entre delegados e organização, e manteve a tradição de procurar sempre uma participação mais ampla das escolas parceiras. Como grande inovação do evento, o comitê de vídeo foi criado e superou as expectativas.

2009

Em sua quarta edição, o evento manteve o número de 230 participantes e recebeu ainda mais escolas parceiras. O grande destaque do PoliONU 2009 foi o nível acadêmico: a elevada qualidade dos temas, das discussões e do material de estudo, além do forte preparo dos diretores, marcou o evento.

2008

Buscando melhorar a qualidade e expandir o evento, o PoliONU 2008 aumentou o número de inscritos para 230, incluindo escolas parceiras do Sistema de Ensino Poliedro. A abertura do evento contou com um discurso proferido por Guy Brasseur, um dos ganhadores do Prêmio Nobel da Paz de 2007, que preparou e motivou ainda mais os delegados.

2007

Com o sucesso da primeira edição, o PoliONU 2007 elevou a qualidade vista no ano anterior. O número de delegados aumentou para 180, distribuídos em seis comitês. As grandes inovações da segunda edição foram a criação da Sala de Política Externa (sala PEX) e da Central de Imprensa, que se mantêm até os dias atuais.

2006

A primeira edição do PoliONU chegou com tudo: a inauguração do principal modelo de simulação estudantil no Brasil atingiu níveis de excelência em satisfação de delegados e patrocinadores, como também atraiu a atenção da mídia local, que fez questão de cobrir o evento. Contando com aproximadamente um quarto do número de delegados e a metade do número de comitês de sua décima edição, o primeiro PoliONU é o início de uma história de esforço, conquista, responsabilidade e, principalmente, amadurecimento de uma iniciativa que hoje classifica-se em âmbito nacional.

PROJETO SOCIAL



Senhores participantes,

O PoliONU é um evento em que os alunos são responsáveis por debater problemáticas atuais da sociedade, visando ao máximo solucioná-las. Dessa forma, foi criado o Projeto Social, no qual os participantes têm a oportunidade de ajudar comunidades carentes da região, durante os quatro dias de evento, por meio de doações. Assim, além de debater problemas mundiais que muitas vezes podem parecer distantes de nós, os senhores estarão, por meio deste projeto, realizando uma ação concreta capaz de promover o bem-estar social, o que envolve a tão valiosa empatia, muito oportuna em nosso evento.

Sendo assim, estaremos aceitando duas categorias principais de doação:

• Produtos de higiene pessoal

Exemplos de doações: escovas e pastas de dente, sabão em pó, fraldas, fraldas geriátricas e absorventes íntimos.

• Alimentos

Os alimentos doados devem ser não-perecíveis e/ou leites UHT (longa vida) ou em pó. Os alimentos mais pedidos pelas famílias são: arroz, feijão, leite e óleo. Porém, qualquer ajuda é válida.

• Divisão de pontos para a atividade programada

Os produtos doados para o Projeto Social valem pontos para a atividade. Esses pontos obtidos através das doações são essenciais para que o comitê dos senhores ganhe a competição que ocorre durante a atividade. Para que isso aconteça, a distribuição dos pontos seguirá o seguinte critério:

• Receberão 2 pontos (por quilograma): itens alimentícios.
• Receberão 2 pontos (por unidade): produtos de higiene pessoal.
• Receberão 3 pontos: leites em pó infantis e fraldas.

INFORMAÇÕES



Durante todas as atividades, exceto nas festas e atividade programadas, serão obrigatórios os trajes sociais.
São considerados trajes sociais:
• Camisa e calça social; Blazer; Paletó; Terno; Tailleur; Smoking; Vestidos; Saias; Sapatos Sociais; Sapatos de Salto Alto; Sapatilhas, Mocassins e Docksides.

• Vestidos e Saias devem estar, no máximo, 3 dedos acima do joelho.

Qualquer dúvida relacionada ao Código de Vestimenta pode ser enviada aos membros da Organização.

No Manual de Inscrição, você terá todas as informações para realizar a sua inscrição no PoliONU 2018.

Fique atento às mudanças! Acesse o manual aqui!

Cronograma para Delegados

Quinta-Feira
Horário Atividade
14h - 14h30 Credenciamento
14h30 - 15h30 Cerimônia de Abertura
15h30 - 16h Coffee-Break
16h - 17h30 Revisão de Regras
17h30 - 19h30 1ª Sessão
19h30 - 22h Coquetel de Boas-Vindas
Sexta-Feira
Horário Atividade
9h - 12h 2ª Sessão
12h - 13h30 Horário para Almoço
13h30 - 16h 3ª Sessão
16h - 16h30 Coffee-Break
16h30 - 18h30 4ª Sessão
18h30 - 19h Intervalo para a Atividade Programada
19h - 22h Atividade Programada
Sábado
Horário Atividade
8h30 - 11h30 5ª Sessão
11h30 - 13h Horário para Almoço
13h - 15h30 6ª Sessão
15h30 - 16h Coffee-Break
16h- 18h 7ª Sessão
18h - 19h Intervalo para Festa
19h - 22h30 Festa Temática
Domingo
Horário Atividade
8h - 10h30 8ª Sessão
10h30 - 12h Avaliação dos Delegados
12h - 13h30 Encerramento

Cronograma para Professores

Quinta-Feira
Horário Atividade
14h - 14h30 Credenciamento
14h30 - 15h30 Cerimônia de Abertura
15h30 - 16h Coffee-Break
16h - 17h30 Revisão de Regras
17h30 - 19h30 Visita aos Comitês – 1ª sessão
19h30 - 22h Coquetel de Boas-Vindas
Sexta-Feira
Horário Atividade
9h - 10h30 Visita aos Comitês - 2ª Sessão
10h30 - 12h Mesa redonda sobre Simulações
12h - 13h30 Horário para Almoço
13h30 - 16h Visita aos Comitês - 3ª Sessão
16h - 16h30 Coffee-Break
16h30 - 18h30 1ª Sessão de Simulação entre Professores
18h30 - 19h Intervalo para a Atividade Programada
19h - 22h Atividade Programada
Sábado
Horário Atividade
8h30 - 10h Visita aos Comitês - 5ª Sessão
10h - 11h30 2ª Sessão de Simulação entre Professores
11h30 - 13h Horário para Almoço
13h - 15h30 Visita aos Comitês - 6ª Sessão
15h30 - 16h Coffee-Break
16h- 18h Visita aos Comitês - 7ª Sessão
18h - 19h Intervalo para Festa
19h - 22h30 Festa Temática
Domingo
Horário Atividade
8h - 10h30 Visita aos Comitês - 8ª Sessão
10h30 - 12h Avaliação dos Delegados
12h - 13h30 Encerramento

Na lista de países você terá acesso a todas as vagas disponíveis em cada comitê.

Acesse a lista, aqui.

Caros participantes,

O PoliONU tem a tradição de executar algumas atividades paralelas durante os quatro dias de evento com o intuito de criar um clima de descontração e, também, aproximar os participantes: a festa temática e a atividade programada. É importante que todos os participantes estejam atentos para o traje que deve ser utilizado em cada ocasião e observem antecipadamente o cronograma, já que muitas vezes o tempo para se trocar entre uma atividade e outra é curto.

Atividade Programada: A atividade programada dispõe de bases com diversas atividades em que os senhores serão divididos em grupos e terão seus pontos contados. Vale frisar ainda que, além da pontuação regular da atividade, este ano contará com uma pontuação extra, proveniente do Projeto Social.

A organização do PoliONU 2018 gostaria de ressaltar que é de suma importância que os senhores levem uma roupa confortável para utilizar durante a atividade programada, para que possam aproveitá-la ao máximo.

Festa temática: A terceira noite do evento conta com a festa temática, em que os senhores delegados, jornalistas, juízes, staff e professores são convidados a se caracterizarem para a noite. O tema da festa será divulgado em breve em nossa página no Facebook. Esse será o momento descontrair e aproveitar a oportunidade de se divertir e fazer novos amigos, numa noite memorável.

Le Monde diplomatique Brasil SAOI Simulação Acadêmica de Organizações Internacionais 2018 COLÉGIO EMBRAER JUAREZ WANDERLEY

O Colégio Poliedro fechou parceria com os hotéis Mercure e Ibis Colinas, para facilitar o acesso dos participantes que não moram em São José dos Campos ao local do evento. Foram acordadas tarifas especiais e benefícios.

Para saber mais, basta entrar em contato com:
Tatiane Malafaia
E-mail: h5168-re@accor.com.br
Tel.: (12) 3904-2300
• Informar que participará do PoliONU 2018.

COMITÊS E GUIAS



CENTRAL DE IMPRENSA

GALERIA

POLIONU 2017

INSCRIÇÕES



Valor da inscrição por participante:
Alunos do Colégio Poliedro SJC/SP/CAMP: R$ 200,00
Alunos de Unidades Parceiras: R$ 230,00

Inscrições encerradas

CONTATO



A Organização está à sua disposição. Qualquer dúvida, entre em contato conosco!

Antonietta Torres Romano
Secretária-Geral Acadêmica

Luiz Felipe Monteiro Nogueira
Secretário-Geral Executivo

Raira Castilho Oliveira
Secretária-Geral Administrativa

E-mail: polionusecretariado@gmail.com

Rafaela Bergamo de Souza e Silva
Diretora de Eventos
E-mail: eventos2017poli@gmail.com

Larissa Ferreira
Departamento de eventos
E-mail: larissa.ferreira@sistemapoliedro.com.br

Colégio Poliedro São José dos Campos

Av. Dr. Eduardo Cury, 50 – Jd. das Colinas – Cep: 12242-001 - Tel.: (12) 3928-1616 - Ramal 376


Acompanhe o PoliONU nas redes sociais.

Facebook - PoliOnu Instagram - PoliOnu Twitter - PoliOnu