Not support Recaptcha
Pular navegação

Performance

Olímpiadas científicas estudantis: tudo o que você precisa saber

14 de dezembro de 2021

Tags

  • performance de alunos

Olímpiadas científicas estudantis: tudo o que você precisa saber

O governo brasileiro investe em uma série de competições em inúmeras áreas do conhecimento, Na maioria dos casos, voltadas para resolução de problemas teóricos e práticos e que englobam áreas das ciências exatas e humanas. Além disso, o estudante que participa de tais competições é beneficiado de várias formas, principalmente com oportunidades valiosas para sua jornada estudantil.

O Brasil possui uma série de eventos destinados a explorar o conhecimento de milhares de jovens e a promover o encontro entre a ciência e a educação. Mas, se você ainda não está inteirado sobre o assunto, leia este artigo para conhecer como funcionam essas competições, quais são os principais eventos nacionais, como participar deles e quais são os seus objetivos.

As olimpíadas científicas são responsáveis por difundir e engajar a tecnologia e as ciências vinculadas ao ambiente escolar. No contexto global, as principais competições são a Science Olympiad, realizada nos EUA desde 1983, e a European Union Science Olympiad, realizada em toda a União Europeia desde 2003.

Como funcionam as Olimpíadas Científicas?

As olimpíadas científicas são eventos que acontecem entre equipes de estudantes ou de forma individual, com a proposta de desafiar e estimular os participantes a aprofundarem seus conhecimentos em determinadas disciplinas, como Física, História, Biologia, Geografia, Matemática etc. 

As competições acontecem, comumente, por meio de provas escritas e práticas. Em seguida, ocorrem as avaliações e as pontuações e, por fim, são distribuídas as premiações (medalhas de ouro, de prata e de cobre). Em algumas olimpíadas especificamente, como a de Redação e/ou História, avalia-se, inclusive, a produção textual dos competidores. Atualmente, os exames acontecem também de forma digital. 

No geral, as competições são entre estudantes de Ensino Fundamental e Médio, mas também há olimpíadas que promovem a participação de estudantes universitários. O que difere apenas é o nível de aprofundamento.

Olimpíadas científicas nacionais 

No Brasil, a primeira olimpíada realizada foi a Olimpíada de Matemática, em 1979, organizada pelo Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA). Logo depois, de forma isolada, aconteceram outras poucas competições, como a Olimpíada de Química, promovida pelo Instituto de Química da Universidade de São Paulo. 

Apenas em 1996, as olimpíadas se popularizaram com uma maior intensidade por meio da fundação da Olimpíadas Brasileira de Química (OBQ), organizada pela Universidade Federal do Ceará. Posteriormente, em 1998, a Sociedade Astronômica Brasileira deu início início às Olimpíadas Brasileiras de Astronomia e Astronáutica (OBA) que em 2019, bateu o recorde do número de participantes, totalizando 884.979 estudantes, distribuídos por 9.965 escolas de todos os estados da Federação, inclusive do Distrito Federal. 

Porém, somente em 2005, com a criação das Olimpíadas Brasileiras de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP), as competições ganharam o apoio governamental necessário para a total difusão das competições. 

Atualmente o Brasil promove dezenas de olimpíadas científicas que tem como meta descobrir talentos para participarem de olimpíadas internacionais. 

Vamos entender um pouco mais sobre algumas das principais olimpíadas nacionais? 

Olimpíada Brasileira de Matemática 

A Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM) é uma competição voltada para estudantes de escolas e universidades de todo o país, tanto da rede pública quanto da privada. 

Alguns dos principais objetivos da competição é promover a melhoria do ensino de Matemática e descobrir jovens com um talento matemático excepcional para representar o Brasil nas principais competições internacionais. 

As vagas para a Olimpíada de Matemática são destinadas para os estudantes que tiveram destaque nas competições regionais e são realizadas pelo site oficial da OBM.

As provas da OBM possuem quatro níveis diferentes, que se organizam de acordo com o grau de escolaridade. O nível 1 e 2 são reservados para os estudantes do Ensino Fundamental. Já o nível 3, para os estudantes que estiverem cursando o Ensino Médio. O 4º nível é o universitário, no qual jovens de qualquer curso superior ou que já tenham concluído o Ensino Médio participam.  

Olimpíada de História 

Já a Olimpíada de História (ONHB) é disputada por equipes formadas por um professor de História e por três estudantes que estudam na mesma escola (um do 8º, um 9º ano do Ensino Fundamental e um estudante de qualquer série do Ensino Médio). As provas possuem seis etapas realizadas de forma digital e uma etapa presencial.

O principal objetivo é promover uma atividade que estimule o desenvolvimento do conhecimento e do estudo. As inscrições são feitas pelo site oficial da ONHB e possui uma taxa de R$30,00 para estudantes da escola pública e R$60,00 para estudantes da rede particular.

A ONHB criou um novo formato da competição, voltado para pessoas que possuem interesse na História do Brasil e não têm vínculo com nenhuma instituição. 

Olimpíada de Física 

As competições de Física acontecem em três etapas, nas quais os jovens só se classificam para a etapa seguinte se tiverem passado na anterior. 

Na primeira fase, as provas são objetivas, com conteúdo de acordo com o grau de escolaridade. Já na segunda, o estudante responde a questões dissertativas. A competição é finalizada com uma parte teórica e uma parte experimental.

A Olimpíada de Física (OBF) tem como objetivos estimular o interesse dos jovens pela Física, melhorando o seu ensino e incentivando os estudantes a seguirem carreiras científico-tecnológicas. 

As inscrições são realizadas pelo próprio professor no site oficial da OBF. 

Benefícios das olimpíadas científicas

As olimpíadas científicas são competições que trabalham temáticas específicas, estimulando a resolução de problemas práticos e teóricos. 

Elas realizam experimentos e promovem debates sociais relevantes, além de aprimorar a qualidade da educação científica, o que promove a popularização da ciência entre os estudantes do Ensino Fundamental e do  Ensino Médio.

As competições também favorecem o surgimento de novos talentos nas diversas áreas do conhecimento, principalmente entre os jovens da rede pública de ensino no Brasil, e promovem a aproximação entre escola e comunidade, por meio da democratização do conhecimento. 

Os estudantes que participam das competições realizam atividades com o uso do conhecimento científico e são estimulados a se tornarem cidadãos capazes de promover a atualização dos métodos e técnicas no próprio ambiente escolar. 

Além disso, essas competições são porta de entrada para algumas universidades nacionais, como a Unicamp, UNESP, UFABC, entre outras.

Poliedro e as olimpíadas

Acreditando em todos esses benefícios, o Poliedro Sistema de Ensino criou, em parceria com professores especialistas em competições de Matemática, a OMP – Olimpíada de Matemática Poliedro

O evento é direcionado a alunos das escolas parceiras do Sistema de Ensino Poliedro e tem a missão de elevar o nível de aprendizagem dos estudantes, preparando-os para uma vida acadêmica de sucesso.

O Poliedro Colégio estimula a participação de todos os educandos e professores nas competições de conhecimento, por meio de um ensino de qualidade, valorizando a tecnologia e a ciência. Por isso, no ano letivo de 2021, conquistamos mais de 800 premiações em competições nacionais.

Siga o Colégio Poliedro
nas redes sociais.

O que podemos fazer
pelo seu futuro?

Notícias relacionadas

Assine nossa newsletter